Fala do Associado: Adriana Marcondes Amaral

Atualizado: 28 de jul.

Adriana Marcondes Amaral trabalha no YouTube da Câmara dos Deputados e presta assessoraria de comunicação para a FDA/DF - Federação de Desportos Aquáticos do Distrito Federal. Também cuida da vida esportiva de sua filha recordista absoluta do DF de natação, Ágatha Amaral. Adriana nos contou sobre sua jornada com a Asbac e o esporte.


Vinda de Cachoeiro de Itapemirim, ES, Adriana é casada com Alexandre e mãe de Ágatha e Ana Carolina, e já está com a Asbac há certo tempo.


“Eu e minha família somos associados da Asbac há cerca de quatro anos. Nós ficamos um tempo suspensos, mas depois voltamos.


A Ágatha nadava pela Aquanaii, que era a equipe responsável pela piscina aqui na Asbac. Aí quando a Aquanaii saiu, a Ágatha saiu junto. Depois ela recebeu uma proposta para voltar pela Equipe Aquáticos e está aqui até hoje.”


Para Adriana, a Asbac é um lugar que traz memórias marcantes.

“Eu me recordo bastante de dois eventos. Em um a Ágatha nadou os 400 Medley e com apenas 12 anos quebrou o Recorde Absoluto do DF! O que é o Recorde Absoluto? Dependendo da sua idade, você é de uma categoria, como Infantil, Juvenil, Júnior. O Absoluto reúne todas as categorias juntas. O recorde dos 400 Medley era da Manuella Lyrio, uma atleta olímpica. Foi muito legal e aconteceu aqui na piscina da Asbac. O outro foi depois, quando a Ágatha bateu o Recorde Absoluto que já durava 30 anos, nos 200 Peito, que era de uma outra atleta aqui de Brasília, a Luciana Barbosa”.


Adriana lembra que os recordes de sua filha foram motivo de reportagem em rede nacional por um motivo bem interessante.


“Nas Olimpíadas de 2016, no Rio, eu levei a Ágatha, que mesmo pequena já nadava. Nos assistimos algumas provas de natação. Em uma delas, a Manuella Lyrio ao acabar a prova, jogou a touca pra Ágatha. Foi uma festa! Eu filmei! Ágatha não tinha nem 8 anos. Tempos depois ela bateu o recorde da Manuella. Eu tinha foto dela beijando a touca, o vídeo comemorando as olimpíadas, aí eles fizeram essa matéria e ficou muito legal.”


A relação da família Amaral com a Asbac, é em especial por conta da natação.


“Nossa família é uma família aquática. Nós inclusive viemos para a Asbac por conta do parque aquático que é maravilhoso, na minha opinião um dos melhores de Brasília.


A relação com a natação começou com a minha filha Carol, aí como a mais velha nadava, a Ágatha foi junto. Carol parou de nadar pra fazer medicina, já está se formando, mas a Ágatha quer continuar, como todo atleta de alta performance, sonha com as Olimpíadas.


Meu marido jogava Polo Aquático, já viajou pra jogar. Essa parte aquática vem dele.


Ágatha é nadadora profissional aos 14 anos, segundo a mãe, praticamente cresceu na água. Adriana fez questão de agradecer aos que tornam tudo possível para que ela possa acompanhar sua filha.


“Eu brinco que quando ela tinha menos de um ano, eu a joguei na piscina e mandei crescer, porque o próprio corpo dela já se adaptou à natação.


Eu tenho que agradecer aos meus chefes. Eu trabalho na Câmara dos Deputados e os meus chefes me apoiam muito, o que é ótimo porque é muito difícil. Ela viaja Sul-Americano, Interfederativo, Brasileiro , Absoluto , agora mesmo ela competiu nos Estados Unidos por uma semana. Eu faço hora extra pra isso, mas você tem que ter um bom chefe pra te liberar e eu sempre vou com ela. A Ágatha tem 14 anos, não deixo ela sozinha de jeito nenhum"


Para uma “família aquática”, não há nada como as piscinas da Asbac.


“A Asbac pra mim tem o melhor parque aquático de Brasília. Aqui tem uma piscina de 25m, outra de 23m, tem a maravilhosa de 50m… A gente se encanta com a Asbac.”


Segundo Adriana, um clube recreativo investir no esporte é de extrema importância e reconhece que a nova administração da Asbac tem esta preocupação.


“Eu acho que a gestão melhorou muito desde a última. O atual presidente tem a cabeça muito aberta para novidades e principalmente para incentivar o esporte no clube. Eu acho que um clube não é só social, ele é muito esporte e atividade física, que é o que eu vejo na Asbac. Além do social, tem esse apoio ao esporte. Eu acho que essa administração tem essa característica. Nós que somos uma família aquática, é o que a gente gosta.”


Adriana também fez questão de agradecer a Asbac pelo apoio com a rotina pesada de sua filha.


“Eu queria agradecer à Asbac porque eles dão total apoio à Ágatha. Eles abrem o clube de madrugada pra que ela treine, porque o atleta de natação tem que fazer dobra. Na segunda-feira as piscinas são limpas, mas eles limpam mais cedo para que ela possa treinar, porque ela não pode ficar sem treino. Nós temos todo esse apoio da Asbac, tudo que a gente pede a Asbac ajuda.”


A Asbac se orgulha em dar ao esporte o devido valor e se alegra por ver a Ágatha não só seguindo seu sonho, mas fazendo isso com excelência. É um privilégio para a Asbac fazer parte da vida de pessoas tão dedicadas como Adriana e sua família.

38 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo