Fala do Associado: Dulce Vasconcelos

Dulce Vasconcelos tem história com a Asbac!

Ela não demorou a se associar.

“Eu entrei no Banco Central em 1998. Logo após a minha posse, as duas primeiras providências que tomei foram me associar à Asbac e ao sindicato. Eu gosto dessa coisa coletiva e da representatividade.”

Nos esportes, Dulce segue praticando desde o início e passando o amor pelos mesmos para as gerações seguintes.

“Eu frequento o clube e já fiz um pouco de tudo aqui, agora eu tô gostando bastante das aulas de beach tennis, faço há dois meses.

Falando da parte de esportes, meus filhos também sempre praticaram. Minha filha mais velha já fez ginástica olímpica aqui e por muitos anos, inclusive foi medalhista. Eu já fiz vôlei de areia, já participei das olimpíadas do Banco Central… ultimamente é mais o beach tennis mesmo, mas já circulei bastante no esportes aqui.”

A Asbac se alegra em ter pessoas tão queridas como Dulce em nossos eventos.

“Eu gosto muito dos eventos, né? O Dia das Crianças é um dia muito legal que a Asbac faz, o dia da Páscoa também, meus filhos gostavam muito de vir. Eu gosto muito dos bailes, o Baile das Mães por exemplo é sensacional.

Eu vinha todo ano pra Festa Junina, aí sempre emendava com outra festa, que era o Paulinho da Madrugada, que usava a mesma estrutura que a Asbac usava pra festa.

Sempre participo da parte social, nas churrasqueiras, nas festas e eventos, como o butikim e happy hours. (...) É bem legal, eu gosto bastante de toda a parte social que a Asbac oferece."

Ela fala com carinho sobre a estrutura da Asbac.

“Eu gosto muito da natureza daqui, especialmente quando eu morava em apartamento, sempre reservava as churrasqueiras, planejava de passar o domingo inteiro aqui, é uma coisa bem legal de se fazer e dá pra chamar mais gente e acaba até confraternizando com pessoas de outras churrasqueiras.

Eu gosto muito da estrutura da Asbac, especialmente por ser à beira do lago, é algo muito aprazível. Eu já fiz natação aqui também e acho muito interessante a estrutura das piscinas, por exemplo, fora o tanto de árvores e natureza. É muito bom que aqui não é apertadinho igual eu já vi em alguns clubes, é bem espaçoso.”

A Asbac é formadora de lembranças que serão levadas para toda a vida.

“Eu tenho ótimas memórias dos campeonatos de ginástica olímpica da minha filha, por exemplo. Eu lembro de algo interessante que aconteceu uma vez, quando ela ganhou medalha de ouro na barra. Ela era pequenininha, tinha cinco anos e ela viu a menina ganhar uma medalha de prata e ficou implorando para ter uma medalha de prata, porque ela achava mais bonita. Nós explicamos que a de ouro representava o primeiro lugar e que era muito boa também, mas ela queria muito, então nós negociamos com a menina, que obviamente não achou ruim ficar com a medalha de ouro e topou de trocar com a minha filha, que ficou muito feliz. Isso é algo que eu guardo muito daqui, a amizade. As pessoas que frequentam a Asbac são muito legais, os associados são muito sociáveis, pessoas bacanas de conviver.”

Dulce fala e a Asbac concorda, nosso espaço é precioso e precisa ser bem cuidado.


“Eu acho que precisamos valorizar o que nós temos aqui e a direção da Asbac precisa ficar muito de perto, gerenciar com atenção, porque é um patrimônio. Gostei muito da ideia da lanchonete nova, o Sports Bar. Tem que ocupar o espaço para que ele viva. Devemos todos cuidar muito bem da Asbac para que continue sendo esse lugar maravilhoso.”


21 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo